Por que é vantajoso investir em influenciadores Brasileiros?

Postado em: 7/11/2017

Por Gary Guseinov, CMO InCast

 

É notório que o mercado virtual americano já é maduro e fortemente presente no dia a dia do cidadão. Com uma população de 324,118,787 pessoas, o país americano possui 286 mil internautas, ou seja, 88,5% do total de habitantes. Só em 2016 foram registrados mais de 3 milhões de novos usuários, o que representa um crescimento de 1,1%.

 

Analisando o Brasil da mesma forma, vemos que 66.4% dos seus 209,567,920 habitantes usam frequentemente a internet (cerca de 139 milhões de pessoas) e estatísticas mostram que a internet está crescendo no país. Em 2016, 6,753,879 novas pessoas passaram a usar a internet. Isso é um aumento de 5.1% com relação ao ano anterior. O comércio online também está crescendo por aqui e dados mostram que vai continuar expandindo nos próximos anos.

 

78% dos internautas dos EUA e 75% dos brasileiros são consumidores de vídeos.  Isso não é uma coincidência, a maioria das redes sociais ainda estão se ajustando aos padrões comportamentais dos novos usuários, seguindo as mudanças no formato de seus conteúdos em vídeo. A plataforma de vídeos mais famosa, o YouTube, agrega cerca de 167.4 milhões de pessoas nos Estados Unidos, dos quais 58% são usuários ativos mensalmente. No Brasil, são 69.5 milhões, sendo 50% ativos na mesma frequência.

Sobre a plataforma Instagram, pode-se notar que desde 2016 foram registrados 88,48 milhões de usuários nos EUA. Segundo o Facebook Insights, no Brasil esse número chega a 45 milhões de pessoas. Esse crescimento pode ser atribuído ao fato de muitas pessoas conectarem suas contas do instagram as do Facebook (80%).  Ainda sobre esta rede social, foi observado que a média dos usuários costuma acessar suas contas em média 9 vezes por dia. Desta forma, 51% dos Instagrammers no Brasil dizem que não podem imaginar um dia sem acessar o Instagram.

A pesquisa com usuários brasileiros do Instagram levantou alguns outros dados interessantes: 59%  já conheceram novas marcas ou produtos pela rede social e 8 em 10 pessoas já se inspiram nela para tomar alguma decisão. Além disso, 55% dos viajantes no Brasil disseram que se sentiram encorajados pelo Instagram. 2 em 5 pessoas pesquisadas no país dizem que fizeram compras inspiradas no que viram na rede social e 85% dos compradores de carros no Brasil afirmaram usar o Instagram ou Facebook para pesquisas.

O que é mais interessante é que segundo uma pesquisa cedida pelo Google, brasileiros parecem ser mais ativos na internet que os americanos. 50% dos internautas do país postam conteúdo online regularmente e mais de 55% da população mostra com frequência conteúdo online para outras pessoas.

Esse é um dos motivos pelos quais Investir em influenciadores digitais no Brasil é mais efetivo que em anúncios de TV. Um estudo desenvolvido pela ProXXIma estipula que já chegamos a um ponto em que conteúdo gerado por influenciadores (que atuam em mídias como YouTube, Instagram, blogs) gera melhores resultados econômicos que 30 segundos de aparição na TV (e em um custo menor). Em 2019, a publicidade online vai atingir 36% do mercado publicitário, enquanto campanhas veiculadas em TV vão cair 30%.

Outra vantagem dos influenciadores no Brasil é a cultura brasileira. Coletividade é a maior locomotiva da social media no país. A população brasileira é fortemente integrada em grupos sociais desde o nascimento por isso é natural para brasileiros proteger e apoiar pessoas em seus grupos (não importando como). Lealdade é uma das virtudes mais importantes e para influenciadores brasileiros (e pessoas em geral) é ainda mais importante criar uma relação forte e duradoura com seus fãs. Em retorno, fãs oferecem  seguidores e interação aos seus “gurus”. Por isso, no Brasil é possível observar que:

  • 74% dos consumidores se apoiam em mídias sociais para decisões de compras;
  • 27% usam mídias sociais para procurar produtos;
  • 91% das compras são influenciadas pelo boca a boca;
  • 85% das decisões dependem de comunidades online de confiança para pesquisas;
  • O boca a boca amplia os resultados de anúncios pagos em pelo menos 15%;
  • 84% dos consumidores tomam mais decisões de compras baseados em opiniões de influenciadores do que em outras formas de publicidade;
  • Marcas aumentaram o investimento em influenciadores digitais em 30% em 2016.

A forma de conteúdo mais eficiente nas redes sociais é aquela que causa emoções e os brasileiros são mestres nisso. Brasileiros têm uma atitude positiva, cheia de otimismo e Isso ajuda seus influenciadores a acumularem seguidores rapidamente.

Segundo Google 70% dos brasileiros visitam redes sociais frequentemente e 60% assistem vídeos online pelo menos uma vez por semana. (Nos EUA, apenas 43% visitam redes sociais e 39% assistem vídeos online). Da mesma forma, brasileiros interagem online com mais frequência que pessoas dos Estados Unidos. Em média, brasileiros curtem 2 páginas, deixam 13 comentários, curtem 21 postagens e compartilham 3 todo mês. Nos EUA, os índices por mês são de 1 página curtida, 8 comentários deixados, 12 postagens curtidas e 2 compartilhados. Assim, as atividades nas redes sociais são 29% menos frequentes que no Brasil. Ao que se refere a anúncios clicados e promoções resgatadas, os números são os mesmos em ambos países – 15 para anúncios e 1 para promoções. Porém, a publicidade no Brasil é muito mais barata que nos Estados Unidos. Pelo mesmo valor nos EUA, você consegue atingir três vezes mais pessoas no Brasil.

Um fator importante que mostra a influência das redes sociais em seus usuários é a Taxa de Engajamento. Essa taxa mostra a porcentagem entre número de interações (curtidas, comentários, etc) e seguidores de um determinado perfil.

 

De acordo com o influence.co, o número total de grandes influenciadores nos Estados Unidos é de 4,871, enquanto no Brasil é de 310. A média da taxa de engajamento é respectivamente 3,465 e 3,425. A diferença desta taxa não é muito grande. A média de preço por postagem no Instagram é 193,49 USD nos EUA e 174,47 USD no Brasil.

 

Fontes:

  1. http://www.internetlivestats.com/internet-users-by-country/
  2. https://influence.co/go/engagement-rates/top_countries/us
  3. https://influence.co/go/engagement-rates/top_countries/br
  4. https://influence.co/go/rates/top_countries/us
  5. https://influence.co/go/rates/top_countries/br
  6. Facebook IQ USA: https://www.facebook.com/iq/insights-to-go?tags[0]=united-states&tags[1]=instagram
  7. Facebook IQ Brazil: https://www.facebook.com/iq/insights-to-go?tags[0]=instagram&tags[1]=brazil
  8. Percentage of internet users who watch online video content on any device as of January 2017, by country: https://www.statista.com/statistics/272835/share-of-internet-users-who-watch-online-videos/
  9. Leading countries based on number of monthly active YouTube users as of 1st quarter 2016 (in millions): https://www.statista.com/statistics/280685/number-of-monthly-unique-youtube-users/
  10. Leading countries based on number of monthly active Instagram users as of 1st quarter 2016 (in millions): https://www.statista.com/statistics/578364/countries-with-most-instagram-users/
  11. https://influence.iconosquare.com/category/all/1/followers/USA
  12. https://influence.iconosquare.com/category/all/1/followers/BRA
  13. August 2017 Social Marketing Report United States: https://www.socialbakers.com/resources/reports/united-states/2017/august/
  14. August 2017 Social Marketing Report Brazil:  https://www.socialbakers.com/resources/reports/brazil/2017/august/
  15. http://www.traackr.com/blog/influencers-consumer-attention-latin-america
  16. https://www.consumerbarometer.com/en/graph-builder/?question=N1&filter=country:brazil
  17. https://www.consumerbarometer.com/en/graph-builder/?question=N1&filter=country:united_states
  18. Brazilian online influencers – more powerful than a 30 second TV slot https://www.sherlockcomms.com/en/brazilian-online-influencers/